Brasiliense iguala recorde de início sem tomar gols na história do Candangão

Intransponível, zaga amarela está a um jogo de ter marca absoluta na história do Candangão
Foto: Michel Melo/Metrópoles

Por Danilo Queiroz

Além de ter colado na liderança do Campeonato Candango - divide a ponta com o Gama, com 13 pontos, ficando em segundo no critério de saldo de gols -, o Brasiliense tem mais um motivo para comemorar. Sem tomar gols na atual edição do torneio, a defesa amarela igualou um recorde que vem desde 1982, quado o Tiradentes ficou os cinco jogos iniciais sem ser vazado e se tornou a equipe que ficou mais tempo zerada na história profissional do Candangão, iniciada em 1976.

Naquela temporada, o já extinto time rubro-negro não foi vazado ao jogar contra Sobradinho, Taguatinga, Ceilândia, Guará e Brasília nas primeiras rodadas do Candangão. Isso significa que se o Brasiliense mantiver o sistema defensivo impecável na partida contra o Capital, no próximo sábado (23/2), no estádio Serejão, passará a ostentar a maior série inicial zerada na história do torneio local com seis jogos sem sofrer gols.

Vale ressaltar, porém, que as estatísticas de algumas temporadas do Campeonato Candango são obscuras. O Distrito do Esporte mergulhou na história local, mas não encontrou registro de dez temporadas: 1976, 1978, 1979, 1981, 1983, 1985, 1990, 1991, 1992 e 1993 não tem nenhum dado nas principais plataformas históricas do Candangão. Portanto, foram considerados apenas os anos com registro para se estabelecer a marca de cinco jogos como histórica. 

Nome mais conhecido do Jacaré, o zagueiro Lúcio vem de atuações de alto nível no Candangão
Foto: Michel Melo/Metrópoles

O próprio Jacaré já chegou próximo de igualar o feito de zaga perfeita do Tiradentes no início do Candangão da temporada de 2009, ano que chegou ao hexacampeonato local. Porém, bateu na trave ficando quatro jogos sem tomar gol e sendo vazado no quinto. Outro time que se aproximou da marca foi o Gama. Em 2003, ano que também levantou o caneco de campeão local, o alviverde chegou aos mesmos quatro jogos sem buscar a bola no fundo da rede.

A série de partidas sem levar gols é fruto de uma característica bastante conhecida e explorada pelo técnico Adelson de Almeida em seus trabalhos. Em suas passagens anteriores pelo Ceilândia, o treinador amarelo ganhou bastante reconhecimento pela boa capacidade de blindar o setor. No Jacaré, Adelson criou um estilo de jogo sólido e com atletas de confiança, tanto que apenas oito jogadores do elenco foram utilizados nas funções defensivas até o momento.

No Candangão, Adelson de Almeida colocou em campo os seguintes jogadores no sistema defensivo do Jacaré: o goleiro Edmar Sucuri, os zagueiros Badhuiga, Lúcio e Antônio Carlos e os laterais Alex Murici, Gleissinho e Romano. Em 2019, o Brasiliense ainda passou vazado no empate por 0 a 0 com o CRB, resultado que acabou custando a vaga na Copa do Brasil, já que a igualdade favorecia a equipe visitante.

Número de jogos sem tomar gols na história do Candangão


1976 - Não existe registro
1977 - Taguatinga - 2 jogos
1978 - Não existe registro
1979 - Não existe registro
1980 - Brasília e Taguatinga - 2 jogos
1981 - Não existe registro
1982 - Tiradentes - 5 jogos
1983 - Não existe registro
1984 - Brasília, Tiradentes e Guará - 1 jogo
1985 - Não existe registro
1986 - Gama e Tiradentes - 2 jogos
1987 - Ceilândia - 1 jogo
1988 - Tiradentes - 2 jogos
1989 - Gama e Tiradentes - 3 jogos
1990 - Não existe registro
1991 - Não existe registro
1992 - Não existe registro
1993 - Não existe registro
1994 - Tiradentes - 1 jogo
1995 - Guará - 3 jogos
1996 - Ceilandense e Gama - 1 jogo
1997 - Guará - 2 jogos
1998 - Gama e Botafogo - 2 jogos
1999 - Guará, Sobradinho, Dom Pedro II, Luziânia e Ceilandense - 1 jogo
2000 - Gama e Dom Pedro II - 1 jogo
2001 - Bandeirante - 1 jogo
2002 - CFZ, Bandeirante e Ceilândia - 1 jogo
2003 - Gama - 4 jogos
2004 - Paranoá - 2 jogos
2005 - Brasiliense - 4 jogos
2006 - Luziânia - 2 jogos
2007 - Brasiliense - 1 jogo
2008 - Legião - 1 jogo
2009 - Brasiliense - 3 jogos
2010 - Dom Pedro e Gama - 1 jogo
2011 - Ceilândia - 3 jogos
2012 - Capital, Ceilândia, Ceilandense e Luziânia - 1 jogo
2013 - Ceilandense - 2 jogos
2014 - Capital, Luziânia e Brasília - 1 jogo
2015 - Luziânia - 2 jogos
2016 - Ceilândia e Sobradinho - 2 jogos
2017 - Real - 2 jogos
2018 - Paracatu - 1 jogo
2019 - Brasiliense - 5 jogos

Postar um comentário

0 Comentários