Com incerteza sobre o Defelê, Real indica jogos do Candangão para o Mané Garrincha

Sem Defelê, Real transferiu seus jogos para o Mané Garrincha
Foto: Reprodução da Internet

Por Danilo Queiroz e João Marcelo

O Real bem que tentou ter uma casa que ficasse dentro das suas necessidades durante o Campeonato Candango de 2019, mas o tempo passou a jogar contra e o clube precisou acionar o plano B. Depois de investir na recuperação do glorioso estádio do Defelê, o Leão do Planalto acabou precisando indicar o Estádio Nacional Mané Garrincha como casa.

A indicação do novo de campo já consta na tabela divulgada no site da Federação de Futebol do Distrito Federal (FFDF) e o clube deve sediar suas primeiras partidas como mandante na arena da Copa do 2014. O primeiro compromisso do Real dentro de seus domínios será diante do Sobradinho, atual campeão candango, em partida válida pela segunda rodada do torneio local.

Ao todo, o Leão do Planalto cumprirá cinco compromissos como dono da casa durante o Candangão 2019. Correntes mais otimistas dentro do clube ainda esperam contar com o estádio do Defelê ainda na primeira fase, mais especificamente em 16 de fevereiro, quando a equipe aurianil joga diante do Santa Maria, em jogo válido pela quinta rodada do torneio local.

Porém, a tendência é que os trabalhos de reformulação da arena só sejam finalizados após o término do Campeonato Candango, o que inviabilizaria o uso pelo Real na atual temporada. Tocando as obras com investimento próprio, o clube planejava construir novos vestiários, arquibancadas para 4 mil pessoas, área exclusiva para o trabalho da imprensa e reformular o gramado.

Ao que tudo indica, a chuva foi o principal obstáculo para a realização do desejo. Durante a apresentação do clube em novembro, o presidente Luís Felipe Belmonte disse que as pancadas intensas durante duas semanas atrasaram o cronograma. Porém, o mandatário aurianil mostrou otimismo em contar com a nova casa logo nos primeiros dias de fevereiro.

Localizado na Vila Planalto, a arena foi inaugurada em 1959 e recebia os jogos do Defelê, time que conquistou o Campeonato Candango em quatro oportunidades nos anos 60. Antes de partir para a solução de criar uma casa própria, a diretoria do Real tentou regularizar o estádio do Café, no Guará. Porém, trâmites burocráticos impediram a reativação da arena.

Taguatinga e Bolamense ainda não têm casa


Serejão deve estar apto para ser utilizado na 2ª rodada do Candangão
Foto: Haland Guilarde/Divulgação

Faltando apenas onze dias para realizarem seus primeiros jogos em casa no Campeonato Candango de 2019, Taguatinga e Bolamense também continuam em compasso de espera pelo local onde irão mandar suas partidas na temporada de 2019. Até este domingo, nenhum dos clubes havia manifestado oficialmente o interesse por algum estádio da capital federal.

No caso da Águia, a demora é justificada pelo desejo de atuar no estádio Serejão, em Taguatinga. Sem ser utilizado desde as primeiras rodadas do último Candangão, o local vem recebendo algumas melhorias e corre contra o tempo para estar apto para a temporada 2019. Em outubro, o Distrito do Esporte consultou os responsáveis pela arena e apontou algumas reformas que estavam pendentes.

Segundo o jornalista Rener Lopes, da assessoria de comunicação do TEC, a Administração Regional de Taguatinga trabalha para deixar o Serejão pronto para a segunda rodada do Candangão, certame onde a Águia atua como mandante durante o torneio local diante do Brasiliense, clube que transformou o estádio no principal palco do futebol de Brasília nos anos 2000.

Assim como na divulgação do elenco, o Bolamense é a principal incógnita quanto se trata de mando de campo para disputa do torneio local. Em 2018, durante seu primeiro ano disputando a elite do Candangão, a Onça Pintada teve duas casas: o Serejão e o estádio Abadião, em Ceilândia. Caso não ocorram empecilhos, as opções devem ser novamente consideradas pelo clube.

Postar um comentário

1 Comentários

  1. a situaçao do deploravel do Serejao se deve muito a entao secretaria de esporte dona leila do volei.que durante 4 anos nao fez nada e nao foi a nenhum jogo do campeonato local.mas quando houve no Mane Garrincha o jogo entre Flu x Fla essa senhora estava na arquibancada.pior que ela nasceu em Taguatinga e vira as costa para o que é nosso!

    ResponderExcluir

Comente a notícia