Carioca jogou a Liga Ouro de 2014 pelo Sport Recife/PE
Foto: Luiz Pires/LNB

Confirmado na disputa da Liga Ouro na temporada 2019, o Cerrado Basquete confirmou na tarde desta quarta-feira (05/12) seu primeiro reforço para a competição. Através de suas redes sociais, o Verdão anunicou o acerto com o ala/armador Patrick Vieira, de 25 anos de idade, também conhecido como "Carioca". O atleta estava no Mogi das Cruzes/Helbor.

Com a camisa do seu último clube, o novo reforço do Cerrado se sagrou vice-campeão da Liga das Américas e do Novo Basquete Brasil. Além da passagem pelo time paulista, o jogador defendeu ainda as cores do Bauru Basket, Caxias do Sul, Minas Tênis Clube e Sport Recife/PE, clube que atuou durante a edição de 2014 da Liga Ouro.

Mesmo com o time pernambucano não conseguindo avançar para as semifinais do torneio, Carioca se destacou com atuações bastante consistentes. Com isso, o novo ala/armador do Cerrado Basquete foi escolhido como o melhor jogador do torneio naquela edição, integrando ainda o "time dos sonhos" da competição de acesso do calendário brasileiro. 

Em 2017, vestindo a camisa do Caxias do Sul, Patrick chegou a se destacar em algumas partidas. Em uma delas, contra o Paulistano, o ala/armador foi o cestinha do duelo, anotando 22 pontos e obtendo 24 de eficiência, com o aproveitamento de 68,8% dos pontos do jogo. Ele também já atuou em partidas contra times da NBA, caso do Washington Wizards e do New York Knicks.


Em conversa com a assessoria de imprensa do Cerrado Basquete, o jogador demonstrou felicidade por fechar com o time. "Quando conversei com a diretoria, a proposta feita foi muito boa e comprei a ideia. Escolhi vir para cá para poder ficar próximo da família e quem quer estar sempre jogando vai atrás dos seus sonhos. Além do mais, quero ajudar no projeto e subir”, frisou.

 “O time tem uma estrutura onde você pode mostrar seu jogo. Tudo isso agregou na minha escolha. Essa será a oportunidade de passar a minha experiência a quem estiver junto no elenco”, continuou Carioca, que também elogiou os métodos de trabalho do treinador Ronaldo Pacheco. "Já o enfrentei e sei que ele dá moral e confiança para que o atleta possa desenvolver o jogo", ressaltou.