Presidente da CBF garante realização da Copa Verde em 2019

Mandatário da entidade confirmou que competição ocorrerá em 2019

Foto: Diego Beckman/FPF
Por Danilo Queiroz

Maior enigma do calendário do futebol brasileiro da próxima temporada, a Copa Verde deve continuar sendo disputada em 2019. A garantia da realização do torneio regional que reúne clubes do Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Pará, Mato Grosso, Amapá, Rondônia e Amazonas no ano que vem foi dada pelo coronel Antônio Carlos Nunes de Lima, atual presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Em um primeiro momento, a realização da competição ficou ameaçada quando a entidade máxima do futebol nacional divulgou seu calendário sem inserir datas para o torneio. Entretanto, em visita à sede da Federação Paraense de Futebol (FPF) na última quinta-feira (22/11), o mandatário da CBF deu sobrevida para a continuidade do torneio regional de 2019, que terá Sobradinho e Brasiliense como representantes da capital federal na próxima edição.

"A bola vai rolar sim. No máximo na primeira quizena de fevereiro. Estamos garantindo a todos que faremos a Copa Verde", cravou o Coronel Nunes. Antes de garantir a continuidade da competição, o dirigente lembrou dos problemas que ameaçaram a continuidade do torneio. O fim dos canal detentor dos direitos de transmissão da competição foi um dos empecílhos enfrentados. "Houveram atropelos sim. Começou com um canal de televisão e depois recuou", ressaltou. 

Para 2019, a transmissão das partidas será realizada pela TV da entidade, prevê o mandatário, que fica no cargo principal da CBF até abril do próximo ano. Colocada como opção há alguns dias atrás, a participação de equipes do Paraná e do Paraguai deve ser adiada para a próxima temporada. Segundo coronel Nunes, o atual momento político atravessado pelo Brasil e o vizinho sul-americano foi um dos motivos da desistência da ideia.

"Houve uma multinacional que me procurou na CBF para patrocinar a competição com a condição de  que se abrisse vagas para clubes do Paraná e Paraguai, mas infelizmente, devido a essa transição de governo que teve dois meses atrás no Paraguai e também vai acontecer no Brasil, nós não podemos mexer em nada. Somente em 2020 vamos fazer a internacionalização", explicou o dirigente  durante a entrevista.

Com a ideia de dar um caráter internacional ficando para 2020, a Copa Verde terá seu formato mantido, com uma fase preliminar envolvendo quatro equipes e, posteriormente, 16 equipes se enfrentando em um sistema de mata-mata até a grande final. A primeira edição do torneio foi realizada em 2014, quando o título ficou no Distrito Federal após o Brasília superar o Paysandu.  Atualmente, a competição assegura uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil

Também garantindo a realização da Copa Verde, o secretário-geral da CBF, Walter Feldman, apontou que o torneio deverá ter o aporte financeiro da Caixa Econômica Federal. Nas edições seguintes, ainda de acordo com o dirigente, a quantidade de patrocínios do torneio deverá aumentar. “É um patrocínio que agrega. Passamos os conteúdos do torneio para a Federação do Paraguai e para a Conmebol. Todos ficaram encantados com a ideia", garantiu ao jornal "O Liberal".

Postar um comentário

0 Comentários