Reforma nas torres de iluminação tem término previsto para dezembro
Foto: Reprodução da Internet

Por Danilo Queiroz

Nos últimos anos, o maior problema da Federação de Futebol do Distrito Federal (FFDF) na organização do Campeonato Candango está relacionado a regularização dos palcos do torneio. Ano após ano, as arenas da capital federal apresentam problemas que impossibilitam seu uso no torneio local. Mando de campo do Sobradinho, atual campeão do DF, o estádio Augustinho Lima está em boas condições e será utilizado normalmente no Candangão.

Em 2017, quando chegou às semifinais do principal torneio profissional da capital federal, o Sobradinho precisou se ausentar de sua casa devido às condições do gramado à época. Com isso, o clube alvinegro mandou suas partidas no Mané Garrincha. No mesmo ano, o Governo do Distrito Federal (GDF) trocou o piso do estádio atendendo aos padrões exigidos pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em reforma com custo de R$ 313.621,72.

Com a intervenção no gramado do estádio concluída, a volta do Sobradinho ao lar na atual temporada foi bastante comemorada pela diretoria do Leão da Serra, que via o Augustinho Lima como um grande aliado para a realização de uma boa campanha na elite local, já que o acesso da torcida do clube seria mais acessível, algo que, segundo o presidente Washington Borges, foi um dos principais empecilhos ao atuar na arena da Copa do Mundo de 2014.

A boa campanha e a consequente conquista do Candangão 2018 provaram que a aposta era certa. Para comemoração alvinegra, no ano que vem, o local não será problema. Procurada pela reportagem do Distrito do Esporte, a Secretaria da Casa Civil, Relações Institucionais e Sociais do GDF, informou que o estádio está apto para receber jogos do Campeonato Candango de 2019. Atualmente, ainda segundo a pasta, o gramado da arena está em "perfeitas condições de uso". 

O Augustinho Lima receberá novos reparos para estar 100% para a disputa do torneio local ainda neste ano. A Casa Civil do DF explicou que está previsto para os próximos 15 dias o início do serviço que realizará "a troca de toda a iluminação do estádio". O término da intervenção, que irá custar R$ 244.376,05 e será realizada com recurso de emenda parlamentar vindo da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), está previsto para o fim de dezembro.

Utilizado por 17 vezes na atual temporada (14 jogos no Candangão e outros três na Segunda Divisão), o equipamento foi inaugurado em 1978 com o nome de Estádio Olímpico de Sobradinho. Tempos depois, o nome da arena foi trocado para o atual em homenagem ao primeiro repórter da cidade a ganhar espaço na mídia brasiliense. Augustinho Pires de Lima havia falecido aos 23 anos em 25 de setembro de 1976 em um acidente automobilístico.