Com a derrota por 94 a 69, o time de Brasília sofreu o segundo revés seguido na volta ao NBB
Foto: Reprodução/LNB
A noite de segunda-feira (15/10) foi nostálgica no Ginásio Nilson Nelson. Depois de uma temporada, o clássico entre Universo/Caixa/Brasília e Flamengo - considerado por muitos como a maior rivalidade do basquete nacional -, voltava a acontecer. Porém, os torcedores que acompanharam a partida ficaram longe de ver um jogo parelho como as memoráveis partidas que marcaram o duelo. Dominado durante todo o jogo, o time brasiliense foi derrotado por 94 a 69.

Este foi o segundo revés do Universo/Caixa/Brasília na temporada do Novo Basquete Brasil (NBB). No último sábado, os brasilienses já haviam sido derrotados pelo Vasco da Gama, também no Ginásio Nilson Nelson. Melhor nos primeiros minutos do jogo, os candangos chegaram a abrir uma vantagem de quatro pontos. Entretanto, o que se viu até o fim dos dez minutos iniciais foi um Flamengo ditando o ritmo da partida e vencendo o 1º quarto por 27 a 19.

O início do segundo período do clássico foi ainda mais traumático para o time da capital federal. Mostrando força e empurrado por uma barulhenta torcida, o Flamengo chegou a abrir 20 pontos de frente. O Universo/Caixa/Brasília até chegou a esboçar uma pequena reação, porém, o clube rubro-negro se aproveitou dos erros do time de Brasília para administrar a confortável vantagem no marcador e descer para os vestiários com o marcador em 49 a 35.

Apesar da atuação inspirada do venezuelano Windi Graterol após o intervalo (foi o cestinha do jogo com 23 pontos anotados), o Universo/Caixa/Brasília não chegou a ameaçar a vitória do Flamengo em nenhum momento. O time candango ainda teve bons momentos, mas nada que pudesse dimunuir a vantagem dos cariocas no clássico. Ao fim do terceiro período da partida, o marcador anotava 76 a 57 para o time rubro-negro.

Mesmo com o Universo/Caixa/Brasília tentando de todas as formas voltar para a partida, o último quarto do clássico foi apenas administrado pelo Flamengo, que conseguiu controlar sua vantagem e dar números finais ao jogo: 94 a 69. Os torcedores brasilienses, enfim, puderam matar a saudade do maior duelo da história recente do NBB, mas ficaram com o gostinho de que o time precisa caminhar bastante para voltar a ser competitivo como antes.

Após o jogo, Graterol apontou os caminhos a serem trabalhados pelos comandados de André Germando visando o próximo jogo no NBB, na quarta-feira (24/10), diante do Corinthians. “Temos que trabalhar a nossa defesa. É com ela que vamos ganhar as partidas e essa semana de treinos até o jogo com o Corinthians vai ser fundamental para que a equipe continue adquirindo entrosamento e consiga terminar de engrenar”, disse Graterol.