Com laudos em dia e poucas reformas a fazer, Abadião não deve ser problemas para o Candangão 2019
Foto: Reprodução/Internet
Por Danilo Queiroz

Nos últimos anos, o maior problema da Federação de Futebol do Distrito Federal (FFDF) na organização do Campeonato Candango está relacionado a regularização dos palcos do torneio. Ano após ano, as arenas da capital federal apresentam problemas que impossibilitam seu uso no torneio local. Presente em todas as edições do Candangão desde 2000, o estádio Maria de Lourdes Abadia, o Abadião, figura como uma das arenas que se “salvam” em meio ao caos.

Entretanto, o uso de aspas na afirmação se faz preciso para ressaltar que, em algumas oportunidades, o estádio da maior cidade do DF também enfrentou problemas quanto à regularização para jogos. Na atual temporada, por exemplo, o Ceilândia precisou mandar seu primeiro jogo na Série D do Campeonato Brasileiro com portões fechados devido à falta de laudos de segurança emitido por órgãos do poder público.

Aos poucos, o entrave foi sendo superado, fazendo com que o estádio se tornasse uma das principais opções dos clubes locais na hora de decidir onde iriam mandar seus jogos. Nos últimos anos, o Abadião foi casa de Ceilândia, Ceilandense, Brasiliense e Taguatinga na disputa das duas divisões profissionais do DF. Além disso, o local é palco comum de jogos de futebol americano. Para a próxima temporada, o cenário deve ser parecido.

Pelo menos é isso que garante a Administração Regional de Ceilândia, responsável por gerir o estádio Abadião. Com algumas pequenas obras estruturais realizadas para a disputa dos torneios profissionais em 2018, a arena não deve precisar de grandes intervenções para estar em boas condições de uso. “Algumas ações, como a manutenção do gramado e instalações internas, estão sendo realizadas por parceiros que utilizam o espaço”, pontuou.

Grande dor de cabeça dos responsáveis por viabilizar o uso das arenas no Candangão, os quatro laudos de segurança exigidos por Corpo de Bombeiros, Polícias e Vigilância Sanitária, também estão em dia e devem estar em vigor em janeiro do ano que vem, quando está previsto o pontapé inicial da 61ª edição do principal campeonato de futebol do Distrito Federal. “O Abadião está regularizado”, frisou a administração.