Carioca, zagueiro Renan Xavier procura por eldorado em clubes de Brasília

Amigo do ex-Gama Fernandinho, o jogador teve boas referências do DF e busca clube para fazer testes

Foto: Reprodução/Instagram
Por Danilo Queiroz


O carioca Renan Xavier Cardoso tem um sonho em comum ao de muitos meninos ao redor de todo o Brasil: ser jogador profissional de futebol. Aos 23 anos, o zagueiro/volante continua na luta para realizar o maior sonhos e alcançar êxito nos gramados. Em busca de chances, o jogador escolheu Brasília como um eldorado e procura clubes que abram as portas e ofereça oportunidades para ele realizar testes e mostrar seu potencial.

Renan carrega o sonho de triunfar no futebol há bastante tempo. Seguindo o conselho dos pais, completou os estudos e iniciou o curso de Engenharia Civil na Faculdade de Petrópoles, no Rio de Janeiro. Porém, o seu desejo sempre foi outro. "Minha sempre sempre falava: se eu quisesse ser jogador de futebol eu teria que terminar meus estudos e depois procurar. Eu queria fazer Educação Física e jogar na cidade, mas quando eu fui fazer a prova não tinha o curso", relembrou.

Com isso, Renan decidiu iniciar a graduação como engenheiro. Devido a idade, considerada avançada para quem busca se profissionalizar no esporte, chegou a pensar que não seria mais possível alcançar o desejo. "Fiz quatro períodos e meio de engenharia. Cheguei a pensa "futebol já era", que eu já tinha conseguido alguma coisa com possibilidade de dar certo. O tempo foi passando algo me dizia que lá não era ali onde eu deveria estar. Meu sonho era maior", contou.

Na busca pelo sucesso no esporte, o jogador acabou caindo em uma armadilha comum para quem se desbrava em busca da profissionalização. Em 2016, após ser demitido da empresa onde trabalhava, acabou enganado por um falso empresário oferencendo alojamento onde seria realizados testes. "Ele estava com um projeto em São José-RJ. Ficávamos no alojamento para treinar e os olheiros iriam nos ver no fim de semana de jogos. Foram dois, um do Palmeiras e um do Vasco, mas apenas para ver os mais novos", descreveu.

Renan ficou quatro meses no local e não teve uma chance sequer de mostrar seu talento em campo. "Os atletas de mais idade e eu pagávamos o alojamento e não tivemos oportunidades. Isso levou um monte de dinheiro meu e não deu em nada", lamentou. O fim da tentativa acabou de forma melancólica. "Os meninos mais novos causaram um problema na cidade e o empresário abandonou tudo. Eu tinha dinheiro para ir embora, mas se eu não tivesse eu ia ficar lá. Acabei indo para casa em um caminhão de galinha", contou.

Com 23 anos, Renan mantém vivo o sonho de se profissionalizar
Foto: Reprodução/Instagram
Apesar da desilusão, Renan decidiu não desistir do sonho. "Decidi continuar. Eu ja tinha passado por muita coisa e falei "agora eu vou insistir". Fiz peneira no Serrano-RJ e continuo jogando em várzea", disse o atleta. Ele ainda segue em busca de mais oportunidades de se profissionalizar no estado natal. "A maioria dos clubes quer cobrar para fazer testes. Teve gente me pedindo R$ 3 mil. Procuro uma oportunidade para jogar e me profissionalizar. Mesmo ganhando pouco, eu penso mais na minha filha e esposa", comentou.

Indicação de Fernandinho e escolha por Brasília como eldorado


Amigo de infância de Fernandinho, atleta do Gama durante a disputa do Campeonato Candango desta temporada, Renan ouviu conselho para buscar oportunidades em clubes do Distrito Federal. "Ele é meu amigo de infância e me passou alguns contatos. Voltamos a nos falar esse ano e ele falou sobre os times de Brasília darem mais oportunidade para quem vem do Rio de Janeiro e tem uma estrutura muito boa", explicou.

Agora, Renan busca oportunidades e espera contatos para realizar testes em clubes da capital federal para, enfim, alcançar o sonho de infância: ser jogador profissional de futebol. "Só de eu estar jogando já será a maior alegria. Se eu pudesse um jeito de morrer seria como alguém vencedor. Minha história pode inspirar muitas pessoas. Poucos da minha idade conseguiram e eu quero ser um deles", disse repleto de esperança.

As equipes de Brasília que se propuserem a abrir as portas podem entrar em contato com o Distrito do Esporte através das redes sociais ou com o próprio Renan através do telefone (24) 99291-7204. "Minha ideia é fechar com alguns clubes e passar alguns dias fazendo testes. Eu também tenho algumas conversas com clube aqui do Rio de Janeiro. Estou em busca de oportunidade até conseguir uma certa", detalhou.

Para Renan, a esperança é a última que morre e o sonho permanecerá vivo até ser realizado e ele poder entrar em campo profissionalmente como jogador de futebol. "Ainda tem chance. Deus quer que sejamos felizes, só isso. É errado você ser súdito em um mundo em que era para você ser rei e isso só depende de cada um", concluiu.


Postar um comentário

0 Comentários