Atualmente emprestado ao Trindade-GO, o meia despertou o interesse do Grêmio antes de ir para o Jacaré

Foto: Reprodução da Internet
Por Craques do Candangão

Toda criança tem o sonho de se tornar jogador de futebol e se inspiram em grandes ídolos da seleção brasileira ou do seu time do coração, fazendo com que essa esperança vá e amadurecendo ao longo dos anos. A partir de hoje, a página do Instagram Craques do Candangão terá um espaço no site Distrito do Esporte para contar a história de jogadores formados na capital federal e que sonham grande.

Hoje contaremos a trajetória de um jogador nascido em Brasília, formado no futebol da Capital Federal e com destaque na grande potência candanga dos últimos anos, o Brasiliense. Conheça a história de Peninha, meio-campo de 25 anos, jogador do Jacaré e bicampeão candango.

David Lustosa de Oliveira, conhecido no futebol candango como Peninha, iniciou sua carreira nas categorias de base do Cruzeiro-DF, onde foi campeão brasiliense juniores em 2012 e considerado o melhor jogador da competição. Após a boa temporada nas divisões de base do Carcará, o atleta jogou a Segunda Divisão do Candangão 2012. Em sua primeira experiência como profissional, logo de cara foi o artilheiro da equipe com 5 gols.

Após a Segundinha, Peninha chamou a atenção do Grêmio, de Porto Alegre. Porém, problemas com o seu empresário fizeram com que a jovem promessa voltasse à realidade no Distrito Federal. De volta ao Cruzeiro-DF, Peninha jogou a Copa São Paulo de Futebol Jr de 2013 e foi aí que surgiu a grande oportunidade e talvez a realização de um sonho de qualquer garoto que atua no futebol de Brasília: atuar no Brasiliense.

"Após a Copinha veio a oportunidade de jogar pelo Brasiliense, eles já vinham acompanhando meu trabalho desde os juniores e me fizeram o convite para assinar como profissional. No meu primeiro ano fui feliz. Logo na minha estreia na primeira divisão fomos campeões e fui eleito o melhor meia e revelação do campeonato”, lembrou Peninha.

No entanto, sua chegada ao clube de Taguatinga não foi fácil. Como todo garoto que sonha um dia chegar ao profissional, Peninha passou por dificuldades no início da carreira. "Enfrentei dificuldades que são frequentes no futebol do DF: falta de estrutura, sem salário, atuando de graça com o objetivo de se destacar para conseguir alguma oportunidade. Graças a Deus valeu a pena", acrescentou.

Após o título de 2013, o Brasiliense passou por uma crise no Candangão de 2014, 2015 e 2016. A equipe do Jacaré ficou sem calendário devido às más campanhas no regional e os atletas eram emprestados ao final do Campeonato Metropolitano. Com isso, Peninha acabou passando por diversos clubes: em 2014 voltou ao Cruzeiro-DF para jogar a Segunda Divisão. Já em 2015 atuou pelo Operário Ferroviário-PR e em 2016 jogou pelo Fast Clube-AM.

Em 2017, a estrela do jogador voltou a brilhar no Brasiliense. A equipe liderada por grandes nomes como Souza, Nunes, Reinaldo e pelo técnico Rafael Toledo, conquistou o Candangão de 2017 após bater o arquirrival Ceilândia na final. Ali, Peninha conquistava mais um título e garantia calendário para 2018.

Neste ano, Peninha foi titular em algumas partidas do Brasiliense e também saiu do banco para ajudar a equipe em outras. Fez uma boa temporada, mesmo após uma série de fracassos da equipe em todas a competições que disputou. Perguntado sobre a temporada 2018, o jogador respondeu. "A temporada 2018 não foi boa para a equipe devido às expectativas do começo do ano. Tínhamos quatro competições para disputar: o Candangão, Copa do Brasil, Copa Verde e Série D, e em nenhuma dessas competições conseguimos alcançar nossos objetivos", ressaltou.

Peninha já traça planos para a temporada 2019 e espera dar muitas alegrias ao torcedor do Brasiliense. "Sempre irei honrar as cores do clube. Quero poder ganhar um título nacional pelo Brasiliense no ano que vem, conquistar a Copa Verde e a Série D e chegar longe na Copa do Brasil. Quero ajudar a equipe a voltar a ficar em evidência no cenário nacional, pois o Brasiliense é um clube que nos dá boas condições de trabalho, tem uma excelente estrutura... merece estar num lugar maior no futebol brasileiro". concluiu.

Sobre o futuro, o jogador despistou sobre uma possibilidade de deixar o DF rumo a novos ares e ressaltou o compromisso com o Brasiliense. "O futuro só pertence a Deus. Eu procuro sempre estar preparado para poder encarar qualquer desafio que venha a ser proposto e ajudar o time em que atuo me deixa realizado profissionalmente",  finalizou.

Atualmente, o atleta está atuando pelo Trindade-GO na Segunda Divisão do Goianão por empréstimo e voltará ao Brasiliense para a pré-temporada que deve ser iniciada no final de outubro.