Os hinos dos clubes do Distrito Federal possuem belas letras e características bem particulares. Vote no mais belo

Arte: Danilo Queiroz/Distrito do Esporte
Por Danilo Queiroz

O hino certamente é uma das maiores marcas de um clube de futebol. Com melodia característica, as músicas têm a função de exaltar a grandeza das equipes e sua história dentro do esporte mais popular do Brasil. No Distrito Federal não é diferente e a maioria dos clubes possuem composições com belos versos cantados em uníssono pelos intérpretes. Como não são todos os times que contam com um hino oficial, selecionamos nove que tem uma música própria. Vote no melhor no fim da matéria.

As letras costumam ficar em evidência na época da conquista de pompuosos títulos. Afinal, qual torcedor não gosta de ver o hino do seu clube tocar de forma impetuosa enquanto o time levanta a taça de campeão candango? Em 2018, a torcida do Sobradinho teve esse prazer quando o alvinegro conquistou o tricampeonato do Campeonato Candango. "Vencer! Vencer! Nosso lema é: Vencer! Sobradinho, meu clube querido, Hei de amá-lo, amá-lo até morrer", ouviu-se em bom tom.

No futebol do Distrito Federal, os hinos possuem característas bastante marcantes. No hino do Gama, por exemplo, destaca o amor e fidelidade pelo alviverde candango. "Com lealdade, com galhardia, gigante do esporte, o mais forte há de ser!", cita o hino. A torcida do time com mais títulos no futebol candango também é lembrada. "Tua torcida não se intimida, por que o lema é vencer", homenageia.

Em um ritmo diferente dos hinos tradicionais, a música do Brasiliense cita a "aquarela" dos tons do Jacaré. "As cores do meu coração, verde, amarelo e branco, o meu time é campeão", canta a letra, que também faz uma referência intimidadora ao estádio Serejão, tradicional palco do clube durante boa parte de sua história. "Vacilou caiu na Boca do Jacaré", brada o hino. 

De volta ao futebol candango na atual temporada, o Taguatinga resgata toda sua tradição, inclusive seu hino, um dos mais belos do Distrito Federal. "Salve, linda Ave Branca! Que vive pairando sob o ar Trazendo mais fé e esperança A este povo que sempre te amará. Taguatinga!", cita a composição da Águia. "És tu quem encanta o povo Que habita a mais bela capital", encerra a letra.

Outro clube de bastante tradicional na capital federal, o Brasília não fica atrás em relação ao seu hino, que traz belas frases como "Como um sol irradiante Ei de tê-lo até morrer" e "Você é o maior em tradição, Brasília". A composição também exalta a fidelidade ao Colorado do Distrito Federal. "Colorado sempre serei", decreta a canção.

Dos clubes do Entorno do Distrito Federal que disputam o Campeonato Candango, o Luziânia possuí uma letra que presta uma homenagem à cidade que acolheu a agremiação goiana. "De Goiás para os campos de Brasília desde o início da Capital [...] Reluz, meu Luziânia", cita a letra, que também exalta as cores do Igreja. "Azul Celeste é o manto protetor".

O Legião é o time do rock, certo? Porém, o hino do clube laranja resolveu adotar outro ritmo popular no Brasil. À batida de um samba, estrofes como "Avante Legião ao seu destino de glória" são entoadas. A letra do hino do Paranoá destaca a força do clube e da cidade. "Hoje no esporte despontam para a vitória sempre alcançar".

Talvez o mais animado de todos seja o do Ceilândia. Com uma batida mais veloz, um coral canta características e apoio ao alvinegro. "Mais um Ceilândia, Mais um, Vais conquistando mais um título, Está na hora de mais uma decisão", cita o hino do Gato Preto que ainda destaca a festa da maior cidade do Distrito Federal pelo time.

O Lamartine Babo do Distrito Federal


Apesar das diferenças nas histórias e melodias, vários hinos de clubes do Distrito Federal têm uma semelhança: foram compostos por José Wilson Costa Dias. Morador de Taguatinga, ele recebeu a missão de criar a letra das canções de boa parte das equipes locais. Botafoguense de coração, começou a criar hinos de futebol em junho de 1980, quando compôs oito hinos em uma semana.

Segundo José Wilson afirmou em algumas entrevistas concedidas no passado, para criar seus hinos, ele apenas lê sobre a historia do time, descobrindo mais sobre a fundação, uniforme, cores e mascote da agremiação. Depois da pesquisa, a letra do sai em um período entre 10 minutos e uma hora. O primeiro hino composto por ele foi para o Brasília.

As letras de Ceilândia, Taguatinga e Sobradinho também são da autoria de José Wilson. O futebol carioca também conta com uma característica parecida. Boa parte dos clubes do estado, incluindo Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco da Gama, tem o hino assinado pelo mesmo compositor. O saudoso Lamartine Babo é reponsável ainda por outras sete letras.

No Distrito Federal, José Wilson também chegou a criar uma canção homenageando o Gama. Porém, o hino adotado pela torcida do clube alviverde foi feito por Paulo Farias e Moreira. Ao todo, o autor diz já ter composto cerca de 32 hinos de futebol. O hino do Brasiliense também é assinado por outro compositor: Walter Queiroz foi o nome escolhido para escrever a letra do time amarelo.

Ouça hinos do futebol do Distrito Federal e vote no mais bonito