Como estão os clubes que disputaram o Candangão nesta década, mas estão longe da elite local

Alguns dos integrantes recentes do Candangão tentam alcançar o retorno por meio da segunda divisão
A atual década (entre 2010 e 2018) do futebol do Distrito Federal já se colocou como a mais disputada da história, conforme o Distrito do Esporte mostrou há alguns dias. Nos últimos nove anos, vários clubes disputaram a primeira divisão do Campeonato Candango. Alguns deles, caíram e voltaram, já outros lutam para retornar seu lugar na elite do futebol local.

Equipes que se tornaram conhecidas na última década estão na lista, por exemplo, dos clubes que tentarão alcançar uma das duas vagas disponibilizadas na segunda divisão e que garantem o retorno para o seleto grupo de 12 times da elite do Distrito Federal: Botafogo-DF, Legião e Ceilandense são alguns dos times que estarão na luta pela volta por cima.

Porém, tem também o time que não sucumbiu aos transtornos de um rebaixamento e entrou na ingrata lista de equipes locais que se licenciaram do futebol devido aos insucessos dentro de campo: o Planaltina de Goiás, um dos clubes que estavam na disputa do Candangão de 2016 não resistiu à queda e atualmente não exerce atividades profissionais.

Com base no recente registro histórico, o Distrito do Esporte levantou a situação de cada uma das equipes que estiveram no Campeonato Candango nos últimos nove anos. Também elaboramos a classificação geral da década do futebol local, somando todos os pontos conquistados pelos clubes que passaram pela elite do Distrito Federal.

Como estão os times que passaram na elite nesta década?

Planaltina - A equipe de Planaltina de Goiás disputou seu último Campeonato Candango no ano de 2016, quando foi rebaixada após somar apenas quatro pontos na competição. Após a queda, o Pantera não voltou mais a campo e se licenciou das atividades relacionadas ao futebol.
Cruzeiro - Após conseguir o acesso para 2015, o Carcará do Cerrado conseguiu se manter na primeira divisão do Candangão até a temporada de 2016, porém, terminou na lanterna daquele ano com apenas dois pontos e voltou a segundona. Pela segunda vez consecutiva, tentará o retorno para a elite. Em 2017, falhou na tentativa de subir
Brazlândia - Depois de chegar na primeira divisão em 2012 com status de campeão da segundona do ano anterior, a Garça também conseguiu se manter na elite por duas temporadas. Com o rebaixamento em 2013, se afastou na temporada seguinte. Desde 2015 tenta retornar para o Candangão, batendo na trave em três chances. Neste ano, tentará a volta outra vez.
Atlético Taguatinga - Junto com o Brasília, o Jaguar do Distrito Federal acabou rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Candango em 2017. Na ocasião, o time ficou com a lanterna da tabela. Em 2018, o Taguá está garantido na disputa e tentará o retorno à elite do Distrito Federal.
Legião - Sensação local depois de sua fundação em 2006, o time que homenageia a banda Legião Urbana disputou o Candangão em três temporadas nesta década. Com a queda em 2014, tentou o retorno no ano seguinte, mas não obteve sucesso. Com isso, se afastou do futebol na temporada 2016. Voltou a tentar o retorno em 2017 e disputará a segundona outra vez nesta temporada.
Capital - O time foi outro que também ficou três anos na primeira divisão local e caiu junto com o Legião em 2014. O enredo com a história do time laranja se repete na sequência: tentou o retorno no ano seguinte, se licenciou em 2016 e não teve sucesso na tentativa de chegar à elite em 2017. Agora, tentará o acesso à primeirona mais uma vez em 2018.
Botafogo-DF - a equipe do Novo Gama também ficou na primeirona por três anos seguidos, chegando a dar trabalho para equipes maiores do futebol local. Com a queda em 2013, tentou nas temporadas seguintes o retorno para o Candangão, mas não obteve êxito. Em 2018, o alvinegro candango voltará a disputar a segunda divisão em busca de estar novamente na elite do Distrito Federal 
Ceilandense - dos que estão atualmente na segunda divisão, o Dragão é o que passou mais tempo na atual década na elite do Candangão: ao todo, foram seis temporadas na primeirona. Desde a queda, em 2015, o tricolor de Ceilândia tenta retomar sua vaga entre os melhores times locais. Nesta temporada, partirá para a terceira tentativa de acesso.


Postar um comentário

1 Comentários

  1. O Capital não é uma equipe do estado de Goiás, como a página divulgou, e sim uma equipe do Guará-DF.

    ResponderExcluir

Comente a notícia