Brasiliense entra em campo precisando vencer para seguir na Copa Verde

De olho na vaga na Copa Verde, Brasiliense e Atlético Itapemirim se enfrentam no Mané Garrincha
Foto: Divulgação/Clube Atlético Itapemirim


























Único representante do Distrito Federal na Copa Verde - o Ceilândia foi eliminado pelo Corumbaense/MS ainda na fase preliminar -, o Brasiliense terá uma noite decisiva para a continuidade no torneio regional. Às 20h30, o Jacaré recebe o Atlético Itapemirim, do Espírito Santo, no estádio Mané Garrincha, para o segundo jogo do confronto válido pela primeira fase da competição. Após perder a partida de ida por 2x1 no estádio José Olívio Soares, em Itapemirim (ES), somente a vitória interessa para o time amarelo.

Já o Atlético entra em campo jogando pelo empate para seguir adiante na Copa Verde. Mesmo com a vantagem construída pelos capixabas na primeira partida, o técnico Rafael Toledo, do Brasiliense, espera a mesma postura apresentada pelo time adversário no jogo de ida e acredita que os visitantes não entrarão em campo apenas para se defender.  “O Atlético virá ainda mais aguerrido pelo placar em favor, mas é um time de qualidade para atacar e tenho certeza que eles não abrirão mão disso”, alerta

Apesar da crença de que o adversário não irá abdicar do ataque, Toledo salienta ainda as lições defensivas tiradas na primeira partida frente ao Galo da Vila. O técnico do Jacaré sabe que será necessário furar uma possível retranca do time do Espírito Santo em alguns momentos do jogo e enumera as características do estilo de marcação dos visitantes. “Eles fecham bem as linhas de marcação sem a bola, tanto que o Eraldo, o primeiro atacante deles, vem na linha de volantes para marcar. Eles fazem bem o balanço e fica difícil infiltrar”, analisa. 

No primeiro jogo, o Brasiliense perdia por 2x0 até os 39 minutos do segundo tempo. Entretanto, o gol marcado pelo lateral-direito Patrick trouxe um sopro de esperança para o Jacaré na luta pela classificação para a próxima fase da Copa Verde. O treinador do time amarelo comemorou e destacou a importância do tento marcado fora de casa. Toledo acredita que esse detalhe pode definir a classificação para o time da casa. “O gol do Patrick no final foi até meio estranho, ele estava caído, mas pode fazer uma grande diferença, já que uma vitória simples nos garante” avalia.

A derrota no Espírito Santo - em 31 de janeiro -, foi a última dos comandados de Rafael Toledo. Desde então, o Jacaré disputou outros três jogos, com dois empates (contra Luziânia, fora de casa pelo Candangão, e contra o Oeste, como mandante pela Copa do Brasil) e uma vitória (no clássico diante do Gama). O treinador do Brasiliense comemora o “crescimento no momento certo” e salienta a importância de tirar proveito das últimas boas apresentações para conseguir sair do gramado do Mané Garrincha com a classificação para a segunda fase da Copa Verde.

A boa fase, inclusive, gerou um fruto importante para a partida decisiva pelo torneio regional e o Brasiliense deve seguir com a mesma base titulares dos últimos jogos. As únicas mudanças para o confronto contra o Atlético Itapemirim serão as voltas do goleiro Edmar Sucuri e do volante Radamés, que ficaram fora do clássico contra o alviverde por suspensão. “Tive uma boa resposta no clássico contra o Gama e não vejo razão para mudança. Se não tiver nada fisicamente com algum jogador, a equipe deve ser a mesma”, garante o treinador.

Jacaré se preocupa com desgaste e Galo da Vila se apega ao retrospecto

Além das qualidades do adversário - atual campeão estadual do Espírito Santo -, o Brasiliense tem outra preocupação para a partida desta noite: o desgaste causado pela maratona de jogos. A partida de hoje marcará a sétima apresentação do time amarelo em 25 dias, ou seja, o elenco entrou em campo uma vez a cada três dias e meio de temporada. No período, o Jacaré repetiu praticamente o mesmo time titular e utilizou 23 jogadores do plantel. O clube enfrentou ainda uma viagem de 1.271 km até Itapemirim, no interior capixaba, onde disputou o primeiro jogo da Copa Verde. 

“Tivemos um ou outro atleta que sentiu mais essa sequência. Mas isso estava previsto desde o início dos trabalhos de preparação e quando foi necessário substituir, conseguimos manter o mesmo padrão de jogo”. Toledo também salientou a pré-temporada do Brasiliense - iniciada em 1º de novembro. De acordo com o treinador, a preparação foi essencial para que os jogadores pudessem suportar o ritmo frenético de partidas sem lesões. Em todo o elenco, apenas o lateral-direito Cicinho e o atacante Luquinhas estão fora da decisão de hoje por contusão.

Desde a partida de ida contra o Brasiliense - disputada em 31/01 -, o Atlético Itapemirim entrou em campo outras três vezes, empatando duas e perdendo um jogo (0x0 fora de casa contra o Vitória/ES e 1x1 em casa contra a Desportiva Ferroviária pelo estadual e derrota para o Remo em casa por 2x0 pela Copa do Brasil).  O técnico Zé Humberto também deve repetir a base do time que entrou em campo nas últimas partidas. O lateral-direito Felipe Foca, lesionado, é a única baixa do time capixaba. 

O clube capixaba se apega no bom retrospecto em disputas no sistema mata-mata para confiar que saíra de Brasília com a classificação no torneio regional. Em toda sua história, o Gato da Vila disputou quatro vezes o formato e se classificou em três - em todas disputando e vencendo o primeiro jogo em casa. O jogo de ida pela Copa Verde foi vencido pelo Atlético por 2x1.

Com a vitória, o time visitante joga pelo para ficar com a vaga nas quartas de final. Já o Brasiliense precisa por 1 a 0 para seguir na competição regional. Se o Jacaré vencer por 2 a 1 a vaga será definida nos pênaltis. Quem avançar enfrenta Cuiabá-MT ou Operário-MS.

20h30
Estádio Nacional Mané Garrincha
Copa Verde (oitavas de final - jogo de volta)
Ingressos: R$ 10,00 (meia-entrada)

BRASILIENSE
Edmar Sucuri; Patrick, Wallace, Badhuga e Mário Henrique; Aldo, Radamés, Souza e Romarinho; Nunes e Reinaldo.
Técnico: Rafael Toledo

ATLÉTICO ITAPEMIRIM-ES
Bambu; Paulinho, Rhayne, Kleber Viana e Marcos Felipe; Vitor; Fabiano, Araruama e Zizu; Eraldo e Pikachu.
Técnico: Zé Humberto.

Postar um comentário

0 Comentários