Ceilândia não entrega laudos e jogo contra o Corumbaense será com portões fechados

Em desvantagem na Copa Verde, Ceilândia não terá apoio de sua torcida
(FOTO: Ceilândia EC)


Um dos problemas mais recorrentes do futebol candango nos últimos anos, a falta de regularização dos estádios do Distrito Federal respingou na Copa Verde. Por conta da falta de laudos de segurança do estádio Abadião, o segundo e decisivo jogo entre Ceilândia e Corumbaense-MS, válido pela fase preliminar do campeonato regional, será realizados com portões fechados. A partida está marcada para quarta-feira (24), às 16h.

Em contato com a reportagem do Distrito do Esporte, a Diretoria de Competições da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou que o clube candango não apresentou os laudos do palco da partida a tempo e, com isso, a tendência é que o jogo não receba público. Na semana passada, a entidade máxima do futebol brasileiro havia estabelecido que o Gato Preto tinha até a última sexta-feira (19) para regularizar a situação do estádio, prazo que não foi cumprido pelo time candango.

Após ter sido derrotado pelo Corumbaense-MS por 3x1, o Ceilândia terá que reverter a vantagem do time sul-mato-grossense para classificar para a próxima fase do torneio regional. O jogo foi disputado no último domingo (21), no estádio Arthur Marinho, em Corumbá (MS). O gol do alvinegro candango foi marcado por Alcione.

Para se classificar para a próxima fase da Copa Verde, o Gato Preto terá que vencer por dois gols ou mais de diferença. Já o time do Mato Grosso do Sul pode perder por até um tento que ainda assim fica com a vaga. Em caso de igualdade de gols, a vaga será definida no critério de gols marcados fora de casa. Se o placar da primeira partida se repetir, o classificado será conhecido nos pênaltis. O Luverdense-MT espera o vencedor do duelo.